segunda-feira, 7 de maio de 2018

Beijo amanhecido




Uma das coisas mais íntimas entre duas pessoas é o delicioso beijo na nuca. Na chegada a um motel, para dar o clima enquanto ajeita-se a chave do carro e a carteira sobre a mesa. Ao saírem de casa para uma noite na companhia de amigos. Aquele beijo surpresa em um lugar completamente fora de clima, como em um supermercado, enquanto um empurra o carrinho e o outro chega sem avisar, se aproximando da nuca, e...

Ao se aconchegar para dormir abraçado, de conchinha, então o beijo na nuca é quase um pedido de permissão para o abraço junto a um desejo de “Durma bem”. Até a hora de lavar a louça muda de cara com um beijo na nuca, com ou sem um belo abraço por trás, que se torne ou não o começo de uma transa sem hora marcada. É especial.

Beijo na nuca é intimidade não importa há quanto tempo se conhece a pessoa. Dá-lo e recebê-lo pede carinho, uma atenção, uma vontade além do convencional. Não falo de mordidas e lambidas, mas daquele beijo em que se coloca os dois lábios, nada seco, nem melado. O beijo na nuca é sempre quente.

Assim como as mãos dadas no cinema, o beijo na nuca é obrigatório em momentos quando não fazemos nada por obrigação.

Outro beijo que desafia as convenções, oficializações, rótulos, fachadas e as rasas pegações de uma só noite é o beijo amanhecido. Aquele que muitos farão cara feia ao imaginarem, mas falo daquele beijo dado logo após uma noite de sono juntos, sem neurose, sem pensar em hálito, permissões ou estética. Nada de formalidades. Língua na língua. Muito lábio. Beijo dado por desejo, não tarefa.

Acordar e sentir o outro ao seu lado. Se ajeitar e voltar a dormir. Abraçar e depois se virar para a parede. Ir ao banheiro, voltar, cochilar mais um pouco. Então é o outro quem vai ao banheiro para logo voltar a se deitar. De repente, os dois se abraçam. Beijos no pescoço e na bochecha e na boca.

Beijo amanhecido é surpresa esperada porque é preciso o ápice da vontade de beijar o outro. Só rola e é gostoso porque os dois querem. Porque querem muito. Porque a pele, o corpo sobre o outro, o cheiro natural de vocês juntos não te deixa pensar. É o tesão falando mais alto. A vontade de duas pessoas que são íntimas o suficiente para curtir o beijo do sexo pela manhã, quando estamos mais sensíveis.

Beijo amanhecido não cabe em casamento que pede divisão de contas e rituais como escovar sempre os dentes assim que se acorda. É beijo que também não rola com a pessoa que se conhece na balada seguida pelo sexo da ressaca. Não é beijo de um dia só nem de todo dia. É beijo raro de rolar, impecável ao se gostar.

Quem curte beijo amanhecido sabe se deixar levar sem pensar onde os dois vão parar. Nem pensam em que momento a vida vai azedar. Porque uma hora ela cheira mal e não há bala de menta que nos tire o gosto ruim da boca quando acontece. Até passar. Mas nem tudo acontece duas vezes.

Enquanto isso, eu quero receber um beijo amanhecido. Mais até que o beijo na nuca que fica até meio bobo perto da intensidade do outro.

COMPARTILHE NO WTS 
Ao acessar o Caneca pelo celular, compartilhe este texto com seus amigos. É só clicar na descrição abaixo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Beijo na nuca é sinal de beijo amanhecido eminente. Uma sutileza de quem sabe o que é e o quer. Só para quem aprendeu a ver o amor nascendo. Amei mais esse! Xoxo bitch!

Matheus Farizatto disse...

Gente... Definitivamente o melhor beijo na nuca é ligação, premonição, certeza de que vai ter, SIM, beijo amanhecido, coisa de quem sabe o que quer. Só concordo. Thanks, Bitch! iLUVit.