quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

iLUVit! Série “Lovesick”

Dylan, Evie e Luke, uma amizade deliciosa


“Doente de amor, procurei remééééédio na vida noturnaaaa!”. Ok. Parei. Mas assistir e pensar no nome da série “Lovesick” me faz lembrar esse modão.

Doente de amor. Amor doente. Delícia de título para a delícia de série que descobri sem querer no Netflix durante as minhas andanças no celular à procura de algo que não esteja todo mundo assistindo e correndo com os episódios para não ficar para trás na modinha. Boring!

A comédia fica em três amigos Dylan, Luke e (a charmosa demais) Evie. Dylan descobre que está com clamídia (uma DST, ok?) e começa a entrar em contato com as mulheres com quem se relacionou para avisá-las. A maior sacada da produção é o flashback para mostrar como ele conheceu e o que rolou com cada uma das meninas que ele telefona para dar a notícia. UM CHARME! – e nessas voltas no tempo ainda temos o jeito que a amizade entre os três vai sendo construída.

Na pegada de outras séries do Netflix, como “Love”, os personagens tem uma beleza exótica, simples, do mesmo jeito que as roupas deles, os lugares onde vivem e as experiências que têm – tudo somado a trilhas sonoras nessa mesma vibe, fotografia e edição idem – dando uma vontade deliciosa de nos sentirmos bonitos com as nossas feiuras e ricos com as nossas contas bancárias sempre no cheque especial. “Lovesick” tem ainda o sotaque britânico no meio de tudo isso!

A série me deu um conforto gostoso demais para conhecer pessoas sem ficar noiado ou tendo que definir se são para eu namorar ou só chupar e ser chupado. Mostra o lado leve de ser solteiro e, principalmente, de ser fiel a quem somos e estarmos bem com isso – seja biscateando ou vivendo para se casar um dia.

Lovesick é estar com uma doença por conta de praticar o amor. É buscar o amor incessantemente em alguém para construir sua família ou só transar por uma noite – ou várias, mas sem compromisso. É saber que podemos amar muito alguém com que convivemos e até tivemos algo, mas que talvez aquela não seja a pessoa que funcionaria para você. Entendeu? Então, ame, leve e doentemente.





Nenhum comentário: