segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Simplesmente (eu) complicado


































Dormir sozinho é um dom. Dormir sozinho e gostar disso quando se tem um namorado e adora dormir abraçado nele é um dom maior ainda. Se curtir é um dom, né? Ainda mais hoje quando ninguém suporta ficar sozinho, sem atenção, quase esquecido.

Dom do egoísmo? Não consigo oferecer se eu não tiver para isso. Dar amor sem estar pleno comigo. Ter tesão sem sentir falta de sentir exatamente aquela vontade. Chega para lá para eu te chamar para cá. Vem!

Sou simplesmente complicado. Adoro dormir abraçado depois de dias dormindo sozinho. Aliás, que delícia morar sozinho, se vejo minha família ao menos uma vez por semana. Que delícia não querer sair de casa. Mais ainda quando sei que tenho poucos e fabulosos amigos para quando quiser dar uma volta ou, melhor, que também ficam em suas casa curtindo suas supostas autossuficiências por sermos tão parecidos.

Adoro namorar. Não sou de casar. Por isso, nada de filhos. Nem de nos cansar por uma rotina que não me cabe. Já falei, preciso me dedicar a mim para só então me dedicar a alguém. Ser pai não é assim. Ser mãe não é assim. Tem que ceder. Muito. Todos temos, em qualquer relação, mas pai e mãe chegam a se anular para ver o filho bem. Acho lindo de ver. Só não serve para mim. Obrigado. Eu pulo essa entrada para curtir por mais tempo a minha sobremesa. 

Que delícia é chegar e te ver na minha casa. Por isso quero que tenha as suas próprias chaves. Que delícia é chegar e te ver na minha casa quando sei que não vamos nos encontrar todos os dias ali, iguais, nos cansando da rotina do trabalho, da vida, que vai nos levar a casarmos de nós dois.

Não quero dividir contas. Eu quero dividir os nossos sonhos, nossas bobeiras. Não quero que faça o jantar, quero que me deixe te mostrar algo que ainda não conhece.

Minha mãe me liga se não ligo em dois dias. Esse é o meu ritmo. Mas não vou ligar sempre nos mesmos dias. O previsível me cansa. E previsível é diferente de combinado. De novo: previsível é diferente de combinado. Por quê? Porque rotina mata, expectativa alimenta. "O melhor da viagem é esperar por ela", ensinou a minha avó e a minha mãe repete. Verdade. Vai acontecer logo ali, vamos curtir a partir daqui. Não é viajar o tempo todo nem nunca fazê-lo por falta de chances.

A minha casa só eu limpo. Eu quero que você chegue e a bagunce do seu jeito, que logo dará espaço para o meu de volta. Prefiro assim. Prefiro isso a você bagunçar e organizar o tempo todo, todos os dias. Nem que fosse para você só organizar e organizar o tempo todo, todos os dias. Deixa comigo. Depois bagunce comigo.



Um comentário:

Lucélia Muniz França disse...

“A cada dia de nossa vida, aprendemos com nossos erros ou nossas vitórias, o importante é saber que todos os dias vivemos algo novo. Que o novo ano que se inicia, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma bênção de Deus.”

Que todos os seus desejos se realizam no ano vindouro!
http://www.luceliamuniz.blogspot.com.br/