quarta-feira, 5 de outubro de 2011

“Diferenças e Necessidades”

Há um mês do fim (será?) do meu namoro, sigo com meu TCR – Trabalho de Conclusão de Relacionamento na busca por novas referências bibliográficas e – mais uma vez – esbarro em Martha Medeiros.

A leitura da vez foi “Doidas e Santas”, coletânea de crônicas publicadas entre 2005 e 2008 nos jornais em que é colunista. No tempo em que estou com meus livros fechados, percebi que bêbado é uma merda. Na fúria de uma situação, me precipitei e exagerei. Terminei com tudo e depois me apeguei a detalhes que me incomodavam na relação, na tentativa de levar minha decisão adiante.

Porém, amar não é decidir e fica difícil seguir em frente quando o outro ainda te ama e te quer também, e tudo que lhe resta de apoio para seguir sem ele são apenas “Diferenças e Necessidades”, título da crônica abaixo, extraída do livro de Martha. Cata, coisa linda do Brasil!


“... um homem e uma mulher com alguma diferença de idade – ela é a mais velha, lógico, como tem se tornado comum hoje em dia. Muitas pessoas duvidam de que uma relação assim possa dar certo. Claro que pode. Tudo pode dar certo e tudo pode dar errado, e a idade nada tem a ver com isso, é apenas um detalhe na certidão de nascimento. O que transforma nossa vida amorosa num melodrama é a diferença de necessidades. Aí não há casal que encontre seu ponto de apoio, seu eixo, seu futuro.

        Um quer compromisso sério, para o outro amar já é sério o suficiente. Um quer filho, o outro nem em sonhos. Um quer uma casinha no meio do mato, o outro é curioso, precisa de informação, cinema, teatro, teatro, gente. Um valoriza a transa antes de tudo, o outro acha que conversar é importante também. Ao menos, os dois gostam de dançar.

        Um quer se sentir o centro do mundo, o outro traz o mundo em si. Um é romântico para disfarçar a brutalidade, o outro é doce para despistar a secura. Um quer muito de tudo, o outro se contenta com o mínimo essencial. Nenhum dos dois liga para dinheiro, mas o dinheiro está quase sempre no bolso de quem viveu mais. Um fica inseguro, o outro diz que nada disso importa, mas claro que importa.

        Um quer que lhe dêem atenção por 24 horas, o outro precisa que lhe esqueçam por uns instantes. Um quer aproveitar cada réstia do sol, o outro gostaria de dormir um pouco mais. Um gostaria de saber o que não sabe, o outro queria desaprender metade do que a vida lhe ensinou. Um precisa berrar, o outro chora.

        Um quer ir embora e, ao mesmo tempo, não. O outro quer liberdade, mas a dois.

        Então um se vai e deita em todas as camas, sofrendo. E o outro mergulha sozinho na dor, sobrevivendo.

Diferença de idade, não existe. A necessidade secreta de cada um é que destrói ilusões e constrói o que está por vir”.


10 comentários:

Anônimo disse...

F-A-N-T-A-S-T-I-K-I !!!!! rs

Feju disse...

"Então um se vai e deita em todas as camas, sofrendo. E o outro mergulha sozinho na dor, sobrevivendo."

É disso que eu tô falando!

PIMENTA E POESIA (Maria Tereza) disse...

Ah, Fioti! Não sabia que vc lia pensamento!!!!!!!!!!!! Olha, tô vivendo tudo isso aí e um pouco mais. Over, over, over. Voo da borboleta, loucura e beleza total que nem em sonho pensei que pudesse existir e não pude evitar. Precisava tanto do seu e-mail pra dividir isso com vc...bjo e Deus te abençoe.

Matheus Farizatto disse...

Salve, anônimo! Hehe

Adorei o F-A-N-T-A-S-T-I-K-I.

Valeu. Abração.

VJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJ

Este trecho é mesmo TRASH, Feju.

De qualquer forma, acaba sendo complicado para os dois.

Beijaço.

VJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJ

Minha lindaaaaa! Meu e-mail está aí no CONTATO. Mas é matheusfarizatto@yahoo.com.br.

Por favor, fique à vontade para conversarmos.

Fique bem, acalma esse coração aí!
Um beijo.

Lívia disse...

Nossa nem sei o que comentar depois de um dia em que quase joguei o namorado moribundo - e mole!- pela janela...Hahaha
É isso aí Saminho, avaliando as necessidades dia a dia.
Bjuss Lívia.

Francine Ribeiro disse...

Esse seu TCR tá ficando bom! Pelo menos a revisão bibliográfica tá bem interessante! rs

Adorei o texto da Martha Medeiros!

abraços para você e boa sorte com o TCR...

Matheus Farizatto disse...

"namorado moribundo – e mole!" foi MUITO PESADO, Liiii! Paciência com o Rafa... oremos.

Beijos. Adoro COM FORÇA!

VJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJVJ

Oi, Fran. Muito obrigado!

Sinto que a apresentação deste trabalho está próxima.

beijão!

Lucélia Muniz França disse...

Olá!!!
Fui convidada por uma amiga para participar de um desafio e ganhei a missão de convidar outros amigos a participarem também. Então, está feito o convite!!! Visitem meu Blog em:
http://www.luceliamuniz.blogspot.com/
Veja as regras do desafio e participe OK!!!
Um ótimo final de semana!!! Bjs

Fran Micheli disse...

HAHAHAHHAAHHA MATHEUS graças a vc comecei a ler Martha Medeiros e adivinha pq? Pra concluir meu TCR! kkkk é isso, querido, ela costuma curar bastante a dor que a gente sente.

beijo pra vc

Matheus Farizatto disse...

Ahauhauaha... salve as nossas conversas (i)núteis no fim do expediente, Fran!

Beijo, lindona. Loves demais.