quarta-feira, 13 de julho de 2011

Dois ou um

Lembro que o resultado pouco me importava. Se fosse eu quem iria começar me escondendo ou procurando no pique-esconde, dava de ombros. Colocar “dois” ou “um” antes de começar a brincadeira não fazia diferença. Se eu saísse de primeira ou ficasse para o "ímpar ou par", eu sempre brincaria de um jeito ou de outro.

Mas quando se trata de relacionamento, qual a diferença entre colocar “dois” ou “um”? Quais os momentos de se pensar a “um” ou a “dois”? Ímpar ou par? Aqui sim, o resultado importa.

No “Dois ou Um” do namoro não se trata de ganhar ou perder, procurar ou esconder, pegar ou correr, e sim de compatibilidade. Em um café com uma amiga, perguntei sobre a quantas anda seu relacionamento que completou quatro anos. Entre elogios e tom apaixonado, uma sinceridade que mostrou o relacionamento ainda mais saudável. “Somos assim: estamos sempre juntos e também saímos cada um com seus amigos, como agora. Somos muito ‘de boa’... Neste Dia dos Namorados, ficamos juntos, mas à noite fiquei com minha família. E minha avó perguntou sobre ele, dizendo que, se fosse ela, passaria o dia todo com o namorado”, comentou a lindaça muito à vontade com a situação em que ambos sabem “quanto” o outro irá colocar no "Dois ou Um".

Mas nem sempre os namoros têm essa sintonia. A coisa leva tempo. No mundo dos solteiros, quando duas pessoas se conhecem e ambos colocam “dois”, um terceiro que vive o “um”, sobra. E vice-versa. Vice-versa de novo. Compatibilidade. Pessoas colocam “um”. Outras colocam “dois”.

Para outra amiga, enviei uma mensagem de “Feliz Dia dos Namorados” e o retorno foi “Ok... Obrigada... kkkkk”. O riso foi por conta de, já há algum tempo, ela sempre colocar “dois” e o cara insistir no “um”. E o namoro não acontece.

Mesmo em casais que "vêem" os dedos do outro apontando para “dois” ou para “um” antes mesmo da jogada, em quais situações o parceiro pode te surpreender com um número a mais ou a menos neste jogo? 

Na vida a dois: o apoio que divide as poltronas no cinema pode estar levantado ou abaixado; o casal pode morar junto ou cada um no seu apartamento; dividir um carro ou cada um com o seu; conta conjunta e divisão igual das dívidas; querer filhos ou cachorros, ou nenhum, ou ambos; balada ou pizza em casa no final de semana; passeio a dois ou a doze com os amigos...


No "Dois ou Um" do relacionamento, como diferenciar individualismo de egoísmo? Companheirismo de dependência? Saber os momentos em que cada pessoa colocar "um" pode significar o melhor "dois"; ou a escolha de ambos no "dois" pode deixar este casal à vontade para cada pessoa curtir melhor seus momentos "um"?

O que realmente vale neste “Dois ou Um” é que não importa quantos dedos colocamos antes de começar a brincadeira, sempre brincaremos desde que o outro também queira. 

Vamos lá... doooooois oooou um?!
COMENTE!

10 comentários:

Lilian Marcelino disse...

Olá! Para começar o dia com alegria madrugamos todos. Relacionamentos nunca sâo fáceis, existem complicações e renúncias. Mas relacionamentos são ótimos para exercitar a doação mútua e testar se realmente existe o amor incondicional. O Dois, o Um precisa acontecer porque em algum momento o "um" não vai mais querer ficar por perto do "dois"... Entende? Filosofando meu caro!

Matheus Farizatto disse...

LÓGICO que entendo, Li!

Momentos "um", momentos "dois", ambos são importantes para o relacionamento virar.

OBRIGADO pelo PRIMEIRO comentário e o MAIS CEDO que já pintou aqui no VJ! Hehe.

BeyjÔm!

Francine Ribeiro disse...

Oi Matheus,

Ótimo texto!Falar de relacionamento é sempre ter assunto pra muita prosa, né? Mas esse trem aí de 'dois ou um' é muito importante. Pra um relacionamento sobreviver (o meu já tem 3 anos e meio), é preciso ter espaço para 'dois' e para o 'um'. Eu sempre digo que relacionamento tem que somar, por exemplo, somar os amigos. Mas para que isso aconteça, cada um tem que continuar cuidando dos seus próprios amigos (parte da história do 'um'; é o churrasco com os amigos dele; clube da luluzinha dela, seja a mulherada em casa comendo brigadeiro ou um passeio no parque ou no shopping). E tem que ter o dia do 'muitos', ou seja, aquelas farras com a galera reunida os amigos dele, ou os amigos dela e, no fim das contas, os amigos dos dois.
O casal só existe se a individualidade de cada um é respeitada e encontra espaço pra respirar. Porque aí, na hora do 'dois' sempre tem surpresa!!

bjins pro c

ah, dê uma passadinha no Mineirices! Será bem vindo.

Gi.Lene disse...

"No "Dois ou Um" do relacionamento, como diferenciar individualismo de egoísmo? Companheirismo de dependência?"

......Quando vc descobrir como resolver isso me fala.....

To na crise dos sete....

Bjus

Lucimara Souza disse...

Olá, Matheus!

Saudades...

Gostei do texto, como sempre.
2 ou 1 devem existir em minha opinião. Tem que ter sintonia para que se viva em harmonia...
O negócio é ter respeito acima de tudo, pq só amor tbm não rola!
Mil beijos...

Patricia Daltro disse...

Um dia escrevi uma poesia que era sobre a mesma dúvida do seu post, e no final, a minha conclusão é que o melhor não é virar dois, mas saber que o 1=1 é sempre a melhor equação na relação. Ambos inteiros, juntos e vivendo a mesma relação.

GU BATISTA disse...

PARABÉNS PELO TEXTO MATHEUS!! Se o relacionamento das pessoas fosse um pouco mais consciente, independente do 2 ou 1, estariamos bem diferentes!! RESPEITO AO ESPAÇO ACIMA DE TD!!

Matheus Farizatto disse...

Fran ÓTIMO comentário!
Disse TU-DO com o "O casal só existe se a individualidade de cada um é respeitada e encontra espaço pra respirar".

O lance é mesmo somar, dividir, mas NUNCA subtrair.

Um beijo e obrigado pela visita!

------

Hehehe, Gi! Sinto muito, mas isso é com você, lindaça. O que posso dizer é que o gostoso é ter um pouco de tudo. Bju

--------

RESPEITO, Lu. É isso mesmo, esse é o lance que segura a brincadeira. Saudade, menina! Bjos

-----------

Boa, Patty! Manter o individualismo considerando sempre o companheirismo (1=1).

Obrigado por passar no VJ! Beijão

----------------

Aeeeeeeeee, Gu! Bom demais ter você no VJ! Seja MUITO bem-vindo.

Abraço essa: "RESPEITO AO ESPAÇO ACIMA DE TD!!"

Valeu! Abração.

PIMENTA E POESIA disse...

Fioti, meu amor, o negócio é o seguinte: essa mulherada linda tá certíssima. Como diz a minha amiguinha mineira Francine "esse trem"...(adorei! me senti representada na blogosfera!). Olha, o trem é uma bagunça gostosa e doida mesmo, mas eu tenho uma teoria que aplico nos 22 anos de convivência com o Mozão, é mais ou menos como os ideais da revolução francesa "liberdade, igualdade, fraternidade..." e sexualidade feliz. Tudo o mais decorre dessas quatro dimensões! Ahhhhhhhcomo eu tô filósofa!!!!!Beijo grande e abraço forte, meu querido. Ah, tá se alimentando direitinho? Leva um agasalho, viu? rsrsrsrsrs

Matheus Farizatto disse...

Hehehe, tá tudo certinho, mamãe. Me alimentando bem e carregando o agasalho comigo. ;)

Adoro sempre que você divide as teorias que aplica em seu casamento tão bacana.

Obrigado demais por estar sempre por perto! Um beijo

E "liberdade, igualdade, fraternidade...' e sexualidade feliz" SEMPRE!