sexta-feira, 25 de março de 2011

Ela gosta

Se no mês da mulher eu não escrevesse sobre essa turma de salto alto e sapatilha que sempre comenta aqui no VJ, provavelmente um grupo de hackers lokas sabotaria esse blog antes de começar o mês de abril.
Abre aê pra elas passarem! Peraê!

Li e reli mil coisas sobre a mulhereda e o que encontrei? Mais do mesmo. Homens escrevendo com ar de superiores sobre os problemas das mulheres e essas fazendo o mesmo sobre elas mesmas. Os melhores textos sobre esse universo são os escritos por mulheres céticas, pés no chão, que questionam o que a sociedade cobra e também a própria educação recebida da mãe – PrOntul_fhallEy.

Eu não sei o que acontece, mas mulher gosta. Ela gosta de ouvir que não pode. Gosta de tentar saber se conseguirá o improvável. Gosta de escolher aquilo que ela sabe que não será o melhor pra ela e por aí vai. É isso mesmo. Quekiéh?

Antes que eu seja FUZILADO, deixo claro que comentar esse “querer e não poder” é considerando a cobrança que a mulher se coloca ou aceita no sentindo de TER DE DAR CONTA DE TUDO. Paaaaaaraaa, fia! Tá loka? Passou esmalte no olho em vez de nas unhas? Colocou o OB na orelha? Cheirou sombra da Avon?

Homem sabe que não dá e boa. Não quer muito e empurra com a barriga sem criar úlceras.
Mulher não ter que ser esse máximo que o povo escreve, não. Mulher, esposa, vaidosa, limpa bunda de criança, de cachorro, gostosa, cozinheira, bem sucedida no trabalho, independente e sempre boa de cama... PÓ PÁ RÁ! É isso que f#de com tudo.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mulher tem duas vezes mais chances de sofrer de depressão. Ela gosta. Enquanto os caras se colocam como PHODÕES só por lavar o carro, jogar bola, trabalhar fora e trepar – leia gozar sozinho – com a namorada ou esposa ou amante, as mulheres SE TORTURAM na busca pelo “dar conta”. E aí, depressivas?!?

Um psiquiatra em entrevista à Revista Época do dia 7 de março disse que “o grande desafio das mulheres do século XXI é mesmo este: ampliar os horizontes (trabalhar fora e ser ótima nisso – by VJ interpretation) e conquistar a realização pessoal, sem abrir mão de nada (leia pressões da sociedade: filhos, família, roupa lavada e cerveja na mão do marido durante o futeboly de sunday – este último é uma metáfora, claro)”.

É esse o “DESAFIO” então? Fazer tudo isso? Maratona diária. E o prêmio: DEPRESSÃÃÃÃÃÃO FIA! De-pres-SÃO. DEPRê! É isso que você ganha. Ela gosta.

Anota aí, só por curiosidade:

Estudo feito pelo instituto Sophia Mind diz que as principais preocupações da mulher SEM FILHOS são “equilíbrio entre a vida pessoal e profissional (46%)”, “saúde (44%)” e “realização profissional (36%)” – ou seja, 100% viver pra elas e suas prioridades que dependem mais delas mesmas que de qualquer pênis (by VJ de novo). JÁ A MULHER COM FILHOS: “criação dos filhos (58%)” – e com isso vem o “dar conta do marido de brinde, lembrando que essa é a prioridade para as que são mamães; “saúde (45%)” e “equilíbrio entre a vida pessoal e profissional (41%)” – sendo que o primeiro fator (com 58%) interfere DIRETAMENTE neste.

Quer, quer e não dá conta. De novo: ela gosta.
Para fechar, vai a curiosidade sobre os homem que essa mulher de hoje deseja: “não basta ser rico e bonito. O homem do séc. XXI precisa de atributos como fidelidade, inteligência, coragem e... talento para fazer massagem nos pés”, explica a edição que citei. Tá aí, vai entrar em depressão porque não arruma! Bóiisschita!!!
No ranking dos cuecas perfeitas: Wagner Moura (37%), Gianecchini (36%) e Lázaro Ramos (8%). Depois vem o Raí, Javier Badem (não sei quem é. Obrigado) e Chico Buarque.

O PARABÉNS do VJ é para a mulher que faz as coisas pensando mais em si e menos nos outros. Àquela que agrada acima de tudo a si mesma com suas escolhas. Bjo de língua! Parei.


16 comentários:

Fernanda disse...

Rá! só podia ser esse o assunto do post.

E você tem razão, as mulheres se cobram demais, eu inclusive já tive depressão, vivia estressada porque não queria admitir que não estava dando conta de tudojuntoaomesmotempoagora.
Começei com terapia e isso me ajudou a ligar o FODA-SE pra certas cobranças ridiculas.

Mas ó, ELA GOSTA NÃO.

Beijas.

Matheus Farizatto disse...

Tchará! Hehe.

Não sei porque, Fer, mas imaginei que vc seria a primeira acomentar ;) rsrs

Ainda bem que se libertou disso - ME MATA DE ORGULHO – e com certeza, "Ela gosta NÃO". A tendência TEM DE SER essa. Bjos e bom fim de semana.

PIMENTA E POESIA disse...

Fioti, que textooooooooo! Obrigada pelas informações, elas confirmam o que sei e vivo, mas olha, vou te contar um segredinho: sou péssima dona de casa, acho que já nasci com o foda-se ligado! Aqui em casa o bom de forno e fogão é o meu mozão. Ainda bem, senão ele morreria de fome! Trato de minha depressão há dois anos, mas o melhor remédio que encontrei é fazer o que me dá vontade e rir de mim mesma. Um beijo nessa carinha linda, fiotinho. "Orguio" da mãe, genteeeeeeeeeee!

Lucimara Souza disse...

Ah, Matheus!

Eu já me estressei bastante... Aos poucos estou conseguindo deixar de querer dar conta de tudo no meu tempo e do meu jeito.
Aff... Cansei! Perfeccionismo já era!
Envelhecer mais rápido pra q? rs
Prefiro continuar linda assim! :D hehe
Aprendi a ser menos altruísta também. A vida ensina, né?!
Bjs pra vc!

Saudades...

Matheus Farizatto disse...

Você que é meu "orguio" mamãe! hehehe
Que gracinha, você. Pode ser péssima dona de casa que o "mozão" vem pra isso mesmo: completar.

Você é mesmo maravilhosa e esse remédio não tem em rede alguma.

Outro beijo bem carinhoso em você! Com direito a um abraço apertado!
-----
Ensina mesmo, Lu. E você realmente é muito atenciosa com todos e muitas vezes o retorno não acontecesse, tornando isso um desgaste. Right?

Você é lindona de qualquer jeito.
Ah, tenho falado muito com o Kennedy hehe. Cara bacana demais!

Saudade de conversar com você. Bjos!

Francisco Silva disse...

Grande Matheus, apesar de o texto ser muito bom, não concordo com o que escreveu. Nada contra as mulheres. Concordo quando diz que muitas querem ser várias pessoas ao mesmo tempo, como mãe, dona de casa, trabalhar fora e cuidar do marido ao mesmo tempo, lembrando que duas pessoas não ocupam o mesmo espaço ao mesmo tempo.

Hoje, esse atributo de fazer muitas coisas é de todos, homens e mulheres que trabalham o dia todo fora e a noite tem os “deveres de casa”. Conheço homens que cuidam de casa, dos filhos, cozinham, ou seja, verdadeiros 1001 utilidades.

Penso que essas mulheres que querem ser várias ao mesmo tempo, são por que querem. Buscam isso. Se o marido não quer ajudar, simples, larga dele. Busque um companheiro e não uma “mala”.

A mulher não precisa ser escrava do homem, mais sim companheira. Quem quiser uma empregada, é só pagar, não é casando que vai ter uma.

Beijos.

Fernanda disse...

Adorei seu recado!

Daí que fiquei toda boba..rs

Obrigada.

Beijas.

Filipe disse...

Caro Matheus,

Em minha opinião a maior “guerra” que as mulheres precisam ganhar é contra essa história de “DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES”.
Não acredito que a criação de uma data como essa, ou a criação de cotas de “minorias” ajudaria em algo, e sim, o fim das classificações de gêneros.


Abraços
Filipe de Faria

Matheus Farizatto disse...

Você tem razão, Chico: as mulheres tentam ser mil e uma porque querem. Mas a questão é que muitas vezes se fazem mal por não dar conta.

Eu concordo com o ponto de hoje homens e mulheres trabalharem fora, mas discordo com os "caras mil utilidades". Esses, ainda são minoria MESMO. Muitas mulheres não podem contar com isso e também não "largam" desses fácil assim.
BeijOUuuLLL.
------
Fer, não precisa agradecer. Espero que tenha curtido seu niver. bju!
-----
Poxa, Filipe, você foi além. Realmente uma polêmica. E o Dia da Consciência Negra? Entendi sua visão. Um abraço!

Will Lukazi disse...

Parabéns pelo post, meu amigo.

É toda essa semelhança, diferença e particularidade é que torna interessantes as coisas...rsrsr....

Acho que me assustaria se eu visse uma mulher com a minha cara.....rsrsrsr......


Um grande abraço...

Aline Sandoval disse...

Sami, só você para escrever essas coisas, tenho acompanhado suas postagens e acho super interessante os assuntos. E esse da mulher é o máximo. Mulher é isso tudo mesmo, é assim mesmo e não tem jeito!!

Bjs Aline Sand

Matheus Farizatto disse...

Hi, Will! What's up? – com nome em Inglês, o negócio é conversar no idioma hehe.
E sobre uma mulher com o seu corpo, o que me diz?

Abraaaaaaassss
------
Pára tudo no VJ, que temos uma visita ilustre: SANDi Sandoval!

E aí, lindona, tudo bem?
Fico feliz demais em saber que você está sempre por aqui, acompanhando os textos.

POR FAVOR, comente sempre que quiser. Um beijo.

Larissa Mango disse...

Você está irritantemente certo. Nós, mulheres, temos que admitir que super-heroínas só existem nas histórias em quadrinhos.
Aqui é realidade, meu bem, e dá licença que agora vou pensar só em mim.
Tenho dito!
Hehehe...

Má, adoooooooro, como diria a Pri!

Bjos grande, menino!
Larissa Mango

Matheus Farizatto disse...

Senhoras e senhores:
LARISSA MANGO!

Meu ídolo.

Bjos, Lá!
Eu adoro você. COM FORÇA!

Fernanda disse...

Matheus quando li isso fiquei pensando em como seria um post no VJ sobre tal assunto...rsrsrs

http://testosterona.blog.br/2011/03/29/movimento-feminista-pede-para-mulheres-nao-mais-transarem-%E2%80%98de-quatro%E2%80%99/

Matheus Farizatto disse...

Fer... muuuuuuito obrigado pela indicação de post!

Vou cuidar para que você tenha aqui no VJ um texto sobre a postura dessa PALHAÇA! Hehehe...

Já sentiu, né? Bjos, Fer!