domingo, 16 de janeiro de 2011

Pós-família

Depois de passar o fim de semana sozinho em casa e terminar o domingo dividindo uma pizza com meus pais – em vez de com a pessoa amada no edredon no chão da sala – comecei a pensar sobre a vida pós-família.



Na verdade a primeira vez que pensei sobre o assunto foi no último relacionamento em que estive, no qual coloquei expectativas de uma vida inteira juntos, e então, o pensamento pós-família. Nós dois e nossos cachorros seríamos a pós-família um do outro. Quando nossos pais não estiverem mais vivos e nossos irmãos seguirem com seus casamentos ou solteiros na casa herdada, ou mesmo fora desta casa, a nossa nova família então já estaria constituída. Não rolou.

Claro que um irmão nunca deixará de ser família e as tias loucas também vão durar por mais um tempo. E os primos? Também estarão sempre por perto para fazer aquelas comparações infelizes. Beleza. Mas e você?

Já disse que se a tradicional família não acontecer pra mim – e essa não vai acontecer MESMO: nada de filhos ou casamento filmado na igreja – eu “caso” comigo mesmo. E então serei a minha própria pós-família! – Oi?! Eu me basto, posso?# bjo. Rará!

Mas a minha expectativa é outra. Desejo SIM viver ao lado de alguém que eu ame e acima de tudo que essa pessoa saiba aproveitar isso. O amor que receberei de volta será uma consequência. Podemos dividir a mesma cama todas as noites ou mesmo variar a pia em que lavaremos a louça entre a de sua casa e a da minha. Prefiro a primeira opção. Eu amo a vida a dois com amor – veja aqui. Sem desespero ou carência na busca de qualquer um. Comprometimento. E então, minha pós-família. A minha família.

Família pra mim é a troca de olhares em que há amor e aquela identificação instatânea sobre aquilo que o outro está sentindo. Aquele jeito de olhar em que você diz com todas as palavras que conhece exatamente aquela pessoa e suas emoções. É um amor que pode existir não só em família, mas também entre amigos. Nova pós-família.

Estou falando de um amor e olhar que podem acontecer até mesmo quando você estiver embaixo de seu teto pós-família diante de um simples espelho. Família.



Imagem: “Man at tree shaped home“, de KittenChops

11 comentários:

Francisco Silva disse...

Irmãozinho, gostei muito do que escreveu, ainda mais por ter acompanhado tudo o que se passou. Espero e torço para que você encontre uma pessoa, na qual vocês dois se amem mutuamente, é claro, do seu jeito nervoso e “irritadinho” que você é, mas mesmo assim, sempre vou estar na torcida.

Beijos.

Lucimara Souza disse...

Matheus,

Também, como o Francisco, torço muito para que encontre um amor... E que sua família seja pra sempre linda.
Amores vem e vão. A vida é assim mesmo. Apenas viva o momento intensamente. Tenho certeza de que será muito feliz, vivendo a vida a dois, dividindo a mesma cama todas as noites.. hauhauhauauh

Bjs mil pra vc...
Você é demais!

Beta disse...

Cara, não existe fórmula e por mais que vc idealize algo em sua mente, quando tudo acontece, você é arrebatado e faz coisas que pensou que nunca faria. Cest lá vie!
O importante é que o sentimento seja cultivado sempre, senão desanda e aí, não conseguimos segurar mais nada...

bj

PIMENTA E POESIA disse...

Querido, seu texto me diz muito...você já deve ter percebido como sou ligada e louca pela minha família - a que escolhi e que gerei. Depois da morte de meus pais minha família (irmãos) se desintegrou totalmente. Acontece...Sabe, essa solidão que vc tá experimentando será fundamental pra construção do seu conceito de família. Vivi cem anos de solidão até conhecer meu marido (7 anos mais novo). Nossa história dá um filme - mexicano! Vc é um homem muito lindo e a família será consequência disso...abraço forte, fioti!

Ton disse...

Não é que você esta aprendendo...rsrsrsrsrsr..
Viva você, porque sempre terá a gente..rsrsrsr!!

Rodrigo Ziviani disse...

Tb penso assim, Má. Vc sabe. E repito a vc: a faca e o queijo estão nas suas mãos. Com direito a goiabada! Acho que vc me entendeu... rsrsrs. Juro.
Bjo

Fran disse...

pensamento correto, amigão.
É bom se olhar no espelho e sentir q nada falta.
O que vier além disso, é lucro na certa.

bjs

Matheus Farizatto disse...

POXA! Valeu poessoal.

Simplesmente não consegui acompanhar a chegada dos comentários para responder a todos, mas li um a um e fico muito feliz com a participação, compreensão e incentivo de todos. Muuuuito obrigado, de coração!

Boas intenções e troca de experiências são sempre muito BEM-VINDAS!

Vamos viver felizes. Nunca abrindo mão daquilo que acreditamos e nunca deixando de olhar em nossos próprios olhos no reflexo do espelho de forma a nos amar muito e nos compreendendo perfeitamente.

Uma semana maravilhosa a cada um de vocês: Chicão, Lu, Beta, mamãe virtual hehe, Ro e Fran.

Thanks!

Pensamentos ao vento... disse...

Oi Matheus! Obrigada pelo comentário, mas a minha página não é mais aquela. Mesmo assim, valeu! Espero que tenha contribuído para que você chegue ao n° 50 de seguidores. Abraço.

María Guapa Jóias e Semi-Jóias disse...

Você é fera!Muito,muito,muito!!!Foi afinidade a primeira vista!!!Beijos,beijos

Matheus Farizatto disse...

Adriana, você SUPER colaborou. Obrigado! Agora falta apenas UM! E este será o nosso entrevistado hehehe. Bom pra ele ou azar o dele? rsrs. Já encontrei sua página válida e farei uma nova visita. Um beijo.

E Flavinha, tudo o que tenho a dizer é que ME APAIXONEI de cara hehehe. Espero ter você mais vezes por aqui e pela vida. Beijo, lindaça!

Essa é para os amigos:
"Quando nossas famílias se forem, mesmo que tenhamos outra, que nós amigos nunca deixemos de ser a família um do outro".

Boa semana a todos!