quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Desenovelando

Olá para você que é colocador de borracha em rodo. Oi pra você que instala o ímã lateral da porta da geladeira. Pra você que trabalha em uma fábrica de palmilhas ortopédicas. E você amiga que borda manto de Nossa Senhora para a paróquia do seu bairro. OLÁ! TUDO BEM? 

E aí, como foi a ENTRADA? (Aiiih!). Well, na primeira postagem do ano eu poderia escrever sobre a lentilha que não comi ou o patuá que não carreguei, mas prefiro falar sobre FIM DE RELACIONAMENTO – grito de horror agora! VAI GRITA!
Também não deixa de ser clichê nesse momento, afinal, encerra-se um ciclo para começar outro – siiiiiiiiiiiiiiiim! – Enfim...



Ontem tive vontade de telefonar. Hoje acordei bem e auto-suficiente. De manhã lembrei uma piada nossa e dei risada. À tarde senti ódio por conta de outro ocorrido. E assim se dá o período “pHós.Eu_nãoKero+” e “seGá.Q.vouGwentah”.

Em uma das mensagens de ano novo que recebi: “pra que sofrer?”. E isso ajuda. Pergunte-se: MAS PRA QUE SOFRER CACETE? Logo irá se acalmar. E sobre fim de relacionamento o termo que sugiro é: “Desenovelando”.

É isso mesmo. Li a expressão no último de Martha Medeiros, “Fora de Mim”, e ao final do livro percebi o quanto fim de namoro é tudo igual e até ri muito por conta dos dramas SEMPRE presentes e muitas vezes exagerados.

“Desenovelando” é deixar de fazer NOVELA, de fingir que vai chorar HORRORES quando bate aquela tristeza. Tem hora que você não vai chorar NADA! Sei que nessa hora “não há inteligência que te salve, não há explicação, discernimento, só vibrações, as ruins e as péssimas” – tá, tudo bem, mas sejamos o MAIS PRÁTICO POSSÍVEL: você quer + outra pessoa não quer = cada um no seu quadrado sem contato e a vida segue como se nunca tivesse rolado nada entre vocês; outra pessoa quer + você não = você vivendo muito bem sozinho e em sua companhia; você não quer + outra parte idem = em breve tem paixão nova para ambos e logo serão colegas – porque amizade verdadeira com ex N.Ã.O_E-X-I-S-T-E. Já falei isso AQUI.

“Sofrimento cansa. Não só cansa aqueles que sofrem, mas cansam aqueles que o assistem” e “os grandes amores sucumbem por falência múltipla dos órgãos”. O tira-teimas que sugiro é: mas se o problema que levou ao fim do relacionamento não existisse nunca mais, você ainda assim passaria a vida com aquela pessoa? Ainda existe ânimo? Aquele mesmo amor e paixão? Combustível suficiente para o relacionamento continuar? Grave essas perguntas em seu MP.X9.Restart e fique ouvindo, SE TORTURANDO, até que responda com sinceridade.
Se a resposta for NO, NO, NO – tipo música da Amy WineLoka – chega de drama e toque a sua vida.

Então terminou e boa. “Mais ou menos como uma peça teatral de sucesso que inesperadamente sai de cartaz, o entusiasmo acaba, há textos novos por encenar e um mundo lá fora chamando”.

Clichês que são PHATOUL: nada é eterno e a vida é cheia de recomeço. Então... “você recém está inaugurando um capítulo novo da sua biografia. Não precisa preencher páginas e mais páginas de acontecimentos furtivos e pretensamente eletrizantes. Permita que essas páginas sigam em branco antes de começar a descrever o turbilhão de acontecimentos incríveis que as revistas juram que acontece, mas que é provável que não passe de ficção”.

Primeira semana das mais de 50 que vem por aí, falando apenas DESTE ano. PRUVEITA!

Aspas retiradas do livro “Fora de Mim”, de Matha Medeiros, que indico ao contrário DESTE AQUI.

Um beijo e um abraço, um bife e uma batata pra você.

11 comentários:

Francisco Silva disse...

Matheus, se você ligar... já sabe.

Beta disse...

Bom, bom...
Muito bom. A verdade é essa mesmo, pena que não queremos saber de verdades, não é?

Eu, para fugir da vontade de procurar, contava até mil, me ocupava com várias coisas e, quando nada disso dava certo, eu rezava, aí o tempo passava e eu esquecia, e caia na gandaia de novo... fazer o que?
Quem perde é quem não dá valor, não se doa ao outro e não sabe o que é o amor.

Fique na paz.
Bj

Matheus Farizatto disse...

LINDO DEMAIS, BETA: "Quem perde é quem não dá valor, não se doa ao outro e não sabe o que é o amor".

Até que estou suave na nave. Ainda nem comecei a alugar dvds de "Os Trapalhões" hehehe

Um beijo. Valeu, lindona!

PIMENTA E POESIA disse...

Matheus, eu te adoro, meu fio! Receba um abraço forte, apertado, tipo de mãe, no seu coração.Fica bem (sei que vc vai ficar)e se precisar, tô aqui, sempre pronta pra te ler e te ouvir. Não se esqueça: você é "o cara" (desculpe o clichê, mas é vero!).Beijim, fioti.

Matheus Farizatto disse...

Hehehe, você é linda demais, Maria Tereza. Muuuito obrigado por sempre me pegar no colo dessa forma.

Estou com o coração tranquilo. Isso já é meio caminho andado.

Obrigado pelas palavras e carinho minha mamãe no blog! Hehehe

Beijo especial!

Rodrigo Ziviani disse...

Ih, Chicão, c tá por fora! Hehe. Se ele ligar, o que acontece? Apanha?
Ô Beta, vê lá. Rompimentos são privados (embora o Matheus não saiba disso, rs) e eles não mostram necessariamente o que duas pessoas viveram juntas.
Ah, um abraço para a mamãe do blog do Matheus! Ela, provavelmente, ainda não conhece seu lado "O Exorcista", né, Má? Se conhecesse, te jogava do colo no ato, haha. Calma, brincadeira...
Tá bom, vai, pode mandar o clássico "cala a buoooooooooooooooca!!". Essa é nossa, hein! E quem disse que ex não pode ser amigo?
Abraço.

Matheus Farizatto disse...

Oi, Ro!

O Chicão já sabe sobre como tá o esquema de "ligar" hehe.

Não vou mandar nada de "cala a buoooooooooooooooca!!", fique tranquilo. E ainda vou descobrir como será essa "amizade".

Abração, Ro! Valeu por comentar!

jaqueline disse...

Impressionante como um relacionamento só tem valor quando está no presente né.Aliás,não só o relacionamento mas a importância que um tem na vida do outro.Enfim,essa é a raça humana.

Lucimara Souza disse...

Matheus,

Fim de relacionamento nesta época até que tem o lado bom. Você começa novo de novo, né?
É difícil, a gente sofre, mas ninguém morre. Falo por experiência!
O negócio é ser feliz e, como eu já te disse, felicidade plena a gente vive hoje. Portanto, seja feliz hoje, mesmo que só (sem relacionamento, digo)... Até pq vc nunca saberá quando estará vivendo o dia mais feliz da sua vida.
Aproveite, Matheus!
Relacionamento é experiência, é amadurecimento, e, algumas vezes, é sofrer que faz crescer.
Sinto muito pelo fim, mas se você estiver feliz, também estarei.
Abraço forte e força, rapaz!!!

Ai, Rodrigo, fiquei até com pena do Matheuzinho Um Metro e Noventa de Altura... rsrs...
Se a Maria Tereza vir o tamanho dele, vai querer pegar no colo sim... rsrs
Ele só é doce e o tipo SUPER-SINCERO...rs, como a gente tbm.. rsrs

Bjs pra vcs, leitores do Matheus!
Bj especial, Rodrigo!
Desculpe as brincadeiras, Matheus! Mil sorrisos!!!

Larissa Mango disse...

Má,

li este livro da Martha, MARAVILHOSO!
Engraçado que as "novelas" só mudam mesmo os personagens, porque as histórias são as mesmas. Confortante isso, né?!

Está escrevendo muito, menino!

Bjos pra vc!
Larissa Mango

Matheus Farizatto disse...

Meninas, muito obrigado pelos comentários e CARINHO!

Vocês são Fodásticas (fodas + fantásticas hehe)!

Lá, é mesmo suuuper confortante rsrsrs (mais ou menos, é). Mas é no mínimo engraçado.

Beijos!