quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Dança das Cadeiras

RP City oferece opções de sobra para os solteiros que não gostam de ficar em casa – mesmo durante a semana – e também não exclui os casais – cinema ou casa de swing? É só escolher! ;) Bares de todos os tipos e tamanhos e sons ambientes e preços de cerveja e gente que veste de Torra-torra a TNG também abraçam a vida dos solteiros bem resolvidos e dos nem tanto.

Em um bar durante a semana com os amigos me vi ao centro de uma mesa ou talvez sobre ela. Quase uma visão aérea. Nas cadeiras de um lado, que vou chamar de esquerdo – lado do coração e responsável pelo emocional em nosso cérebro –, um jovem casal de namorados que bebem todos os tipos de bebida alcóolica juntos e fumam juntos e falam juntos sobre suas viagens; uma apaixonante de tão educada jovem que vai se casar em alguns meses, mas saiu sozinha para tomar algo com uma amiga solteira; e um casal mais velho, ambos professores de Salsa – que deram um show de dança no bar! Ok, essas são as pessoas nas cadeiras do lado esquerdo.

Lado direito – A amiga solteira da jovem que vai se casar, esta terminou um relacionamento de poucos meses há poucas semanas; a prima dessa amiga, que chegou há meses do exterior onde deixou um amor de muitos anos; e um gay muito engraçado e aparentemente muito bem resolvido em sua solteirice. Tá legal, cadeiras do lado direito – lado racional do cérebro. Beleza.

Olhando a mesa de longe, notei que já sentei em ambas fileiras. Coisas da vida... Mas tenho minha preferência. A questão é: na Dança das Cadeiras as pessoas conseguem mesmo escolher onde vão sentar? O tempo está passando e a música pode parar a qualquer momento. Em qual fileira você quer sentar?

Um amigo solteiro há muito tempo me disse que procura um namoro sério. Esteve sentado na fileira direita, mas a música já começou e ele está de olho na esquerda. Ouvi o mesmo de um segundo amigo. Então, será que na maioria dos casos as pessoas sentam-se à direita por não ter conseguido uma cadeira na esquerda?

Na Dança das Cadeiras, a cada rodada restam menos assentos. Mesmo as pessoas sentadas à esquerda têm de se levantar para girar em torno de todas e então tentar sentar de volta naquela que preferem estar quando a música parar. Isso exige dedicação. E será que as pessoas se esforçam mesmo para voltar a sentar nessa mesma cadeira? Ou trocam de lado sem se importar? Ou ficam de pé só para não participar? Estou sentado exatamente na cadeira que busquei.




Imagens:
- Chat Design, criação de Mihajlo Juric Design
– Criação de Tanya Aguiñiga


8 comentários:

Anônimo disse...

Fioti, que alegria tê-lo como leitor! Vc salvou meu dia ontem, sabia? Adorei esse lance das cadeiras... nunca tinha parado pra pensar! Obrigada pelos coments, por se aventurar a ler minhas abobrinhas. Te abraço forte e te beijo nessa bochechinha linda. rsrsrs. Que o seu dia seja ótimo e a noite melhor ainda.

Matheus Farizatto disse...

Hehehe, muito obrigado, Maria Tereza!

Um ótimo dia e restinho de semana pra você também.

Bjo de fioti em você!

Fran disse...

Hum. Nunca tinha pensado por esse ângulo. Deve ser pq eu estava bêbada no bar.

mas que belo comparativo, meu jovem. Eu, particularmente, espero a próxima rodada.

=)

Marina S. Carneiro disse...

Amei Má...
excelente texto.. e a mais pura verdade!
Não que eu sente e fique reparando para os do lado hahaha.. Mas vc arradou como sempre!

amu vc

bju

Matheus Farizatto disse...

Fran!! A bebedeira te faz ver todos os ângulos, porém, RODANDO E GIRANDO! Hahahá!

E, Má, claro que você NUNCA repara o que há aos lados rsrs.

Beijos, meninas!

Gianni Sabino disse...

OLá Matheus! Entender o ser humano é uma das tarefas mais difíceis e intrigantes e com certeza é a que mais nos inquieta. kkkkkkk.E seu texto, coincidência ou não, tem muito a ver com algumas questões que tenho pensado nos últimos dias.O simples fato de percebermos em qual fileira estamos as vezes é tão simples e complexo ao mesmo tempo que nos deixa perdidos sem saber ao certo onde sentar quando a música parar.Mas seu texto metáforico me fez pensar em algumas coisas que mais pra frente comento aqui.Aliás adoro metáforas, kkkkk.
Parabéns pelo blog! Um visual bonito, descontraído e textos interessantes, acredito que me tornarei um leitor assíduo.Quem me indicou seu blog foi um grande amigo que temos em comum o
Thiago Belém que fez faculdade com vc.
Prazer em conhecer um pouco do seu universo!!!
ABraços!

Matheus Farizatto disse...

Salve, Gianni! Tudo bem?

POR FAVOR, participe sempre e fique à vontade para comentar e dividir tudo aqui no VJ.

E a própria vida é uma metáforas, certo?

Que bom que curtiu o VJ. Será ótimo ter sua participação por aqui. E o Thiago é SEN-SA-CIO-NAL! Hehehe... curto ele demais. Super amigo mesmo.

Seja bem-vindo, Gianni!
Curti seu MEGA comentário.

Abração.

Lucimara Souza disse...

Voltei!

Já estava com saudades de comentar aqui.
Interessante essa questão das cadeiras... rs
Bom mesmo é ser feliz, de um lado ou de outro!!!

Bjs, Matheus