quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Casei com a Tiazinha


Seus cabelos longos até as costas me chamaram atenção. Bastante lisos, muito escuros e refletindo a mesma luz que atingia a piscina ao seu lado naquela noite. Seu sorriso gentil estava sempre à mostra, apesar de falar pouco. Durante toda a festa, um copo de refrigerante na mão. Nem percebia minha cerveja esquentar enquanto a observava...

Depois de quatro anos de namoro, ela disse não me querer mais. E o que farei? Nosso começo de namoro aos 14 dela e 29 anos meus foi tão gostoso, tão puro, amor de verdade. E agora ela não quer mais. E o que farei?

Ao deixar minha namorada em sua casa – ela não pode chegar após as 18h, afinal tem só 17 – volto a meu sofá de domingo. Na TV, o programa com um quadro que seleciona candidatas a namoro para um jovem rico brasileiro que mora no Canadá. Entre as candidatas, uma cover da Tiazinha daqui do interior paulista (risos comigo mesmo e meus 36 anos e meu sofá e minha cerveja). Vídeos e mais vídeos da Tiazinha cover em festas da Paçoquinha, Sagú e Peixe na Telha... MAS O QUE? COMO ASSIM? Não pode ser...

Na mesma semana ao ouvir meu celular e olhar para aquele nome no visor, veio em minha cabeça: seus cabelos longos até as costas, bastante lisos, muito escuros e refletindo a mesma luz que atingia a piscina ao seu lado naquela noite.

– Desculpa te ligar assim, do nada.
– Sem problemas. Que bom. Nossa, tá tudo bem? Que bom. Que bom que ligou. Atendi eufórico e feliz.
– Tudo bom, mas preciso de uma ajuda sua.

Sendo filho de pais donos de terras no interior paulista, ficou fácil para eu decorar e pintar toda a sua casa para que a equipe do programa gravasse em sua residência, pois ela chegou à final no quadro “Namore com o Jovem Rico que Mora no Canadá”.
Fiz isso por ela. Se ela quer isso, eu faço. Só assim ela teria a chance de conquistar os olhos do tal cara. Parede mofada não dá em casamento no exterior.

Mas ela foi eliminada. Mas ela foi assediada. Um velho rico da capital ligou para a produção que ligou pra ela que atendeu ao velho que perguntou e que ela respondeu “sim”.

Minha nova namorada agora é de 19 anos. Aquela de 17 cansou de mim. Comigo mesmo e meus 38 anos e meu sofá e minha cerveja. Meu celular toca. Cabelos longos até as costas. Bastante lisos, muito escuros e refletindo a mesma luz que atingia a piscina ao seu lado naquela noite.

– Me ajuda?
– Claro. Que bom. Nossa, tá tudo bem? Que bom. Que bom que ligou. Atendi eufórico e feliz.
– Não aguento mais essa vida. Há dois anos o velho me enche do bom e do melhor, mas não saio de dentro de casa e não suporto nem pensar na bunda nua dele!

Tudo certo. Local combinado. Lá estava ela. Na capital paulista, eu a peguei fugida na estação de metrô. Ela só trouxe uma mala feita rapidamente conforme combinamos. Em meu bolso a condição dela: “mas só vou se casar comigo”. Mandei fazer as alianças mais lindas já confeccionadas nesse inteior do Estado.

Há cinco anos casados, ela toca uma lojinha de roupas que me pediu de presente de aniversário. Aos meus 43 anos tento entrar para a Política. Ela, aos 28, ainda tem seus cabelos longos até as costas. Bastante lisos, muito escuros e refletindo a mesma luz que atingia a piscina ao seu lado naquela noite.

Não quisemos ter filhos. Ela não me procura mais. Eu já não tenho ânimo pra mais nada. Casei com a mulher que eu sempre amei. Sempre quis ter uma mulher inferior a mim intelectualmente, pra mim é suficiente. Casei com a Tiazinha e o que importa é que ela é minha.

7 comentários:

Francisco Silva disse...

Prefiro não comentar.

Gi.Lene disse...

Pior que tá cheio desses por aí...

Matheus Farizatto disse...

E "dessas" né, Gi? Bjo

Lucimara Souza disse...

É, Matheus, bem real...
Tá cheio desses e dessas por aí.
Bjão e ótimo final de semana.

Obrigada pela resposta em seu post anterior! hehe

Marisa Mattos disse...

Ah...triste fim amigo...triste fim...que pena....

Matheus Farizatto disse...

AZAR O DELE, MARIZÃO! ahuahauhaua

bjos!

Cidadão Araçatuba disse...

Ahã!! Rs...