sexta-feira, 2 de julho de 2010

Nossa audiência

Quem disse que nosso trabalho jornalístico.trabalhoso.diário.dentroEfora.das.redações só serve para embrulhar peixe? Ou que ninguém nos lê ou assiste ou ouve? TODO MUNDO DIZ! E muitas vezes é o que vemos também! (risos)
Mas não tem problema, não ligamos. Nós, jornalistas, estaremos sempre aqui, num é meeesss?



Pra não te fazer desistir da vida.leitura.semCansar.e.eternabusca.pela.informação, aí vai uma matéria publicada no O Estado de São Paulo sobre quantos e como lêem nossas palavras.
.
.
.
Pesquisa mostra que
46,1% da população lê jornal


Estudo encomendado pelo governo aponta também que o uso da internet para obtenção de informações vem se consolidando no País




BRASÍLIA
O Estado de S.Paulo

Pesquisa encomendada pela Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República aponta que os jornais impressos são lidos por 46,1% dos brasileiros, enquanto as revistas são consumidas por 34,9% da população.
Já a televisão e o rádio são os meios de comunicação mais utilizados pelas pessoas para obter informações. De acordo com o levantamento, 96,6% dos entrevistados assistem TV, enquanto o rádio é utilizado por 80,3%. Os jornais seguem na terceira posição entre os veículos mais procurados, enquanto o uso da internet tem se ampliado.
Entre os que afirmaram ler jornais, 24,7% o fazem diariamente. Os que leem apenas uma vez por semana somaram 30,4%. "Dos leitores de jornais, 42,3% consideram o domingo o dia mais importante da semana para se ler jornal, enquanto que outros 30,6% apontaram como dia mais importante de leitura a segunda-feira", explicam os coordenadores do trabalho.
A pesquisa "Hábitos de Informação e Formação de Opinião da População Brasileira" foi feita pela empresa Meta, a pedido do Palácio do Planalto, para ajudar na "orientação dos esforços de comunicação do governo". O levantamento ocorreu entre os dias 31 de janeiro e 5 de fevereiro, quando foram ouvidas 12 mil pessoas em 539 cidades no País. A Meta é um instituto de pesquisa criado em 1991 em Porto Alegre (RS) e é dirigida por Flávio Eduardo Silveira. O instituto já fez outros levantamentos para a Secom.
Internet. O uso da internet também vem se consolidando no País. Os dados apontam que 46,1% da população costuma acessar a rede de computadores. Desse total, 66,5% possuem acesso em casa. A banda larga via cabo é o tipo de conexão mais usada entre esses internautas.
O acesso à rede mundial de computadores está diretamente associado à renda. Entre as famílias com rendimento superior a 10 salários mínimos, o porcentual de uso é de 79,9%.
Mas a internet ainda está muito associada ao lazer. Apenas 24,8% das pessoas que acessam a rede o fazem para buscar informações. Entre os internautas, 47,7% costumam ler jornais, blogs ou notícias pela rede.
Além de dominar a preferência dos brasileiros, a televisão também lidera o ranking dos veículos com maior credibilidade no País.
De acordo com a pesquisa, a TV aberta é apontada por 69,4% dos entrevistados como o meio de comunicação mais confiável, seguida pelo rádio (7,2%), internet (6,5%) e jornal impresso (6,3%).
A pesquisa encomendada pelo governo mostra ainda que o poder de influência dos meios de comunicação é relevante. Entre os entrevistados, 7,9% afirmaram que "sempre" mudam de ponto de vista de acordo com as informações obtidas, enquanto 62,9% admitiram que isso acontece "às vezes".
Ao mesmo tempo em que exerce influência, a população também considera que a imprensa não faz um trabalho isento e imparcial. Pelo levantamento, 57,3% dos entrevistados consideram que as notícias veiculadas são tendenciosas e parciais, enquanto 24,3% apontam isenção no material produzido.







Nenhum comentário: