sexta-feira, 16 de abril de 2010

Baladas: pra que te quero?

Ela diz que ainda não tem inspiração suficiente para criar seu próprio blog, mas acho que – assim como você também deverá achar depois de ler seu texto – deveria!
Minha amiga e leitora do Virando Jornalista - VJ, depois de me enviar um conto muito caliente via e-mail – quem sabe um dia colocaremos aqui pra você hehehe - encaminhou um “textozinho” que, segundo ela, “é do VJ”! Vale a pena demais. Veja aí. E COMENTE.




Baladas: pra que te quero?

Por Marília Ulian

A noite passada foi boa. Não posso negar. Encontrei um grande amigo lá, dancei e pronto. Nada profundo, estava no lugar onde as mulheres são vazias e as garrafas cheias. Na memória, apenas o cheiro de cerveja com vodka que vem do meu scarpin preto no chão e o que algumas fotografias – ainda na câmera - registraram.

Hoje, aqui sozinha, tudo que me resta da noite anterior é o cheiro insuportável impregnado nos meus cachos, um mix de tabaco com ethanol barato – ao primeiro sou alérgica.

Depois de uma noite badalada – até algum tempo atrás uma noite como a anterior seria perfeita – é hora de limpar as minhas roupas sujas de bebidas que não consumi, do cheiro do cigarro que não fumei e do meu corpo intoxicado.

Hoje, depois de muito pensar, tudo que posso dizer é que trocaria a badalação toda por uma noite bem aconchegante, no sofá, um bom filme, pipoca e guaraná - ou talvez coca-cola? E de preferência acompanhada de uma mulher com um pouco de conteúdo.

Pode ser apenas da idade, mas ainda tento entender o que me levou a sair de casa naquela noite, ir pra balada. Principalmente sabendo que, no dia seguinte, me sentiria vazia, cansada e deprimida.

Cansada por ficar acordada até tarde dançando. Vazia por conhecer gente que não lembro o nome, sem nada a me acrescentar, sem uma boa conversa. Deprimida por perceber que em algum momento me dispus e paguei por isso, e por voltar sozinha a um lugar cheio de mulheres disponíveis.

Pra quem ainda acha que ir pra balada no sábado à noite, apenas uma palavra: APROVEITE, porque essa fase passa e logo, logo o vazio chega…
Pra quem está na mesma fase que eu, ONDE TE ENCONTRO?



* Marília, obrigado por nos enviar com tanta boa vontade esse seu mais que texto, uma manifestação sincera, em que demonstra de um jeito tão tranqüilo seus sentimentos diante de uma situação que causa um turbilhão na cabeça de muitos. Para quem não a conhece, Marília é uma pessoa muito especial, pé no chão, que já viveu e experimentou coisas boas e ruins, mas assimila tudo sempre com muita tranquiladade. Nunca vi essa menina atormentada. Não importa o que ouça, ela ouve em paz.

4 comentários:

Rodrigo Ziviani disse...

Marília, que texto legal!! Parece que vc leu minha alma ao escrever sobre o tema. É exatamente assim que me sinto quando vou a uma balada hoje em dia. O sofá e a pipoca, principalmente se a gente esta numa companhia bacana, nunca foram tão atraentes. Baladas, só de vez em quando mesmo!!! Saudade de vc, menina. E obrigado, Matheus, por dar espaço a essa escritora de enorme potencial! Marília, faça seu blog já! Já tem um seguidor. Ou melhor, dois. Né, Matheus? Bjão.

­Nanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
­Nanda disse...

oooi! Então, eu tava tentando fazer um blog hoje e achei o nome "virando jornalista" perfeito! Quer dier, deopis de alguns que eu já havia tentado colocar relacionados a jornalismo (Já que estou tentando vestibular pela segunda vez para isso,rs), e todos os outros nomes que deram como já utilizados eram de blogs não ativos, o seu foi o primeiro ativo, li alguns textos e tive que vir comentar *-* ADOREI seu blog, kkkk, valeu a pena perder o nome pra você :P, acho que vou seguir seu blog agora. parabéns *-*

Matheus Farizatto disse...

Oi, Nanda. Poxa, que legal. E desculpe por ter ficado com o nome primeiro hehehehe, mas muito legal saber disso.
Quando criei o VJ - ainda na faculdade, em 2007 - foi o primeiro nome que pensei e curti logo de cara.
É bom saber que curtiu o blog e que vai acompanhá-lo. Mais ainda que vc diz que "vale a pena perder o nome" pra mim por ter curtido tanto! Hehehehe. Mas não pense assim e não deixe de criar o seu.

Boa sorte na "ingressada" ao Jornalismo!!! Esteja sempre por aqui!

Muito obrigado.
bjão