quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Carlos Nascimento Casoy


Eu hoje acredito que o jornalismo no SBT, em algum momento na história da emissora, deve ter sofrido algum tipo de maldição para que nunca funcionasse. Algo do tipo “o Canal Feiticeira amaldiçoou a Princesa SBT para que ela aprenda a lição de que nunca poderá ser uma emissora com um telejornalismo”, acho que é bem isso.
Após o Mineiro - diretor de jornalismo do SBT - ter trazido para a emissora nomes como Carlos Nascimento - que estava, inclusive bem no telejornalismo da Band - e Ana Paula Padrão - Jornal da Globo, não precisa falar mais nada -, eu JURO que, não só o Hermano Hering acreditou que agora a coisa ia funcionar, mas EU TAMBÉM!
Ontem (13), tive, dentre outros, um desapontamento com o telejornalismo do SBT. Depois de ver o focado jornalista, César Filho - que é jornalista, radialista, ator, apresentador de TV, e sei lá mais o quê - no comando de um tipo Globo Repórter, mas mais original, chamado SBT Repórter, apresentando com um roteiro terrível, matérias gravadas na década de 90 pelo canal, e no maior estilo Ana Maria Braga, com um headfone - coisa que eu nunca vi no telejornalismo -; e ainda, Cintia Benini e Analice Nicolau - que como apresentadora de telejornal foi uma ótima capa da revista Sexy - chamando matérias; ontem, EU CHAPEI!
Carlos Nascimento agora apresenta o SBT Brasil e como um âncora de telejornal, faz comentários ao final de cada reportagem, assim como o extinto desde 2005, Boris Casoy - hã? Quem é esse? Cuma? - que passou oito anos na Record, fazia. Até aqui, tudo bem. Mas, a diferença entre eles é que, um é ruim e o outro é bom, respectivamente.
O problema está no tipo de comentário que o Carlos Nascimento Casoy faz. Após a exibição da reportagem a câmera fecha nele, ele olha com um olhar do tipo “nossa, é agora, preciso dizer algo”, abre a boca, e solta um chute no saco do telespectador. Completamente forçado e apenas para cumprir algo que foi imposto a ele, provavelmente, para dizer que o SBT tem um âncora e a Globo não.
Prova disso, e motivo deste post, foi o comentário de ontem. A câmera fechou nele ao terminar uma reportagem sobre o aumento no preço dos ovos de Páscoa neste ano, onde a última entrevistada disse que mesmo assim compraria os ovos para sua família porque “era uma alegria só”, então, vem Carlos Nascimento Casoy e diz “depois fica todo mundo fazendo regime”. Carlos Nascimento é jornalista e âncora do SBT Brasil. Como diria o Casoy original, “isto é uma v-e-r-g-o-n-h-a!”. Depois dessa, morre aqui.

6 comentários:

Larissa Mango disse...

Impressionada! Esta é a palavra que melhor define o meu atual estado.
Esse menino, meu Deus! Dividimos muitas histórias na ACI, altas conversas, desabafos, aprendizados, todo jornalista gosta de reflexões, não é mesmo?!
Não ouso mais aplicar o gerúndio no "virar". Má, vc já é um jornalista!
Parabéns pelo seu blog!
Super bjo!

Luiza Pellicani disse...

hahahah... adorei seu texto, não vi o jornal esse dia, mas o Nascimento fazendo comentários é pior que a tal da Cintia apresentando jornal!!!!

Saudades de ti

bjus

Flávia Trindade do Val disse...

Matheus
Ótimo, seu artigo.
Tenho exatamente a mesma sensação que você descreveu ali, somada com um sentimento de pena, ao ver aqueles jornalistas que pareciam brilhantes na Globo terem seu talento desperdiçado de forma tão deprimente, pra não dizer, ridícula.
Parabéns!
Um grande abraço!

Flávia Trindade do Val
NM Advocacia

Anônimo disse...

Tenho tempo restrito para navegar na internet, apesar de ter lá muita coisa boa que me interessa. Mas, como se trata de um mundo onde se encontra tudo de bom e tudo de ruim, priorizo muito o que leio ali. E, quando leio, nem sempre tenho tempo para comentar, redigir um e-mail.
Mas, hoje, tenho 2 coisas a comentar:
1) Com tanta "oferta" de blogs, a chamada do seu e-mail está mais que fantástica (sem trocadilho com a Globo). É impossível não ler a chamada depois de ver as primeiras palavras e é impossível não entrar no blog depois de ler a chamada
2) O blog não decepciona, como acontece muito em jornalismo. O texto de hoje nos faz lê-lo até o final e, mais que isso (mas é sua obrigação como jornalista, lembremos!!!), o texto do blog está completo como um pensamento com começo, meio e fim e, fora alguma construção que me incomoda (mas isso é coisa muito particular minha), e mesmo assim, está delicioso de ler.

Linguagem de blog, assunto pertinente. Parabéns.

Blanche Texto&Cia

Augusto disse...

Fazendo o papel de "advogado do diabo" acho que a intenção do Carlos Nascimento é de aproximar o telejornal do público alvo do SBT.
Normalmente, os telespectadores do SBT têm um nível de escolaridade baixo e estão procurando por entretenimento e não exatamente informação. Este tipo de público não gosta de comentários profundos e reflexões complexas.
Isto fica claro pela própria grade da emissora: "Comando Maluco", "Charme", "A Praça é Nossa", dentre outros.
É fácil descobrir o que as pessoas gostam ou não na televisão. Em um churrasco, pergunte aos convidados se já assistiram o programa "Roda Viva" da TV Cultura. Garanto que poucos saberão, sequer, da existência deste programa.
té+

Delaine disse...

Má... você sabe que sou fã (número 1) dos seus textos!!! Vc é ótimo né?!!!!
Parabéns pelo Blog... Parabéns pelos textos... Vc vai longe... TE admiro muito...
Saudade...
Beijos
De